Big Jato de Cláudio Assis é vencedor do Festival de Brasília

23 set 2015

big jato - fotoA cerimônia de encerramento do 48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro foi realizada na noite desta terça-feira, 22 de Setembro de 2015, o longa-metragem Big Jato de Cláudio Assis terminou a festa como o grande vencedor, com cinco prêmios: Melhor Filme, Ator (Matheus Nachtergaele), Atriz (Marcélia Cartaxo), Roteiro (Hilton Lacerda e Ana Carolina Francisco) e Trilha Sonora (DJ Dolores).

Um evento de números expressivos, o 48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro atraiu aproximadamente 21 mil pessoas às diversas atividades realizadas pelo evento. Ao longo de oito dias de programação, foram exibidos 18 filmes nas mostras competitivas, dois títulos convidados para a abertura e o encerramento, cinco filmes convidados a integrar a Mostra Panorama Brasil, cinco títulos na Mostra Continente Compartilhado, 18 filmes concorreram ao prêmio da Câmara Legislativa do Distrito Federal, na Mostra Brasília, e 18 curtas fizeram a delícia de alunos de escolas públicas que assistiram ao programa do Festivalzinho.

Na noite de terça-feira, dia 22, foram distribuídos os 47 prêmios do festival, concedidos pelo Júri Oficial e pelo Júri Popular das mostras competitivas e premiações especiais.

Premiados no 48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

Longa-metragem – Júri Oficial

Melhor Filme de longa metragem – R$ 100.000,00 – Big Jato, de Cláudio Assis
Melhor Direção – R$ 20.000,00 – Aly Muritiba, por Para Minha Amada Morta
Melhor Ator – R$ 10.000,00 – Matheus Nachtergaele, por Big Jato
Melhor Atriz – R$ 10.000,00 – Marcelia Cartaxo, por Big Jato
Melhor Ator Coadjuvante – R$ 5.000,00 – Lourinelson Vladmir, por Para Minha Amada Morta
Melhor Atriz Coadjuvante – R$ 5.000,00 – Giuly Biancato, por Para Minha Amada Morta
Melhor Roteiro – R$ 10.000,00 – Hilton Lacerda e Ana Carolina Francisco, por Big Jato
Melhor Fotografia – R$ 10.000,00 – Pablo Baião, por Para Minha Amada Morta
Melhor Direção de Arte – R$ 10.000,00 – Monica Palazzo, por Para Minha Amada Morta
Melhor Trilha Sonora – R$ 10.000,00 – DJ Dolores, por Big Jato
Melhor Som – R$ 10.000,00 – Claudio Gonçalves e Flávio Bessa, por Fome
Melhor Montagem – R$ 10.000,00 – João Menna Barreto, por Para Minha Amada Morta
Prêmio Especial do Juri – Jean-Claude Bernardet, por Fome

Curta ou Media-metragem – Júri Oficial

Melhor Filme de curta ou média metragem – R$ 30.000,00 – Quintal, de André Novais
Melhor Direção – R$ 10.000,00 – Nathália Tereza, por A Outra Margem
Melhor Ator – R$ 5.000,00 – João Campos, por Cidade Nova
Melhor Atriz – R$ 5.000,00 – Maria José Novais, por Quintal
Melhor Roteiro – R$ 5.000,00 – André Novais, por Quintal
Melhor Fotografia – R$ 5.000,00 – Leonardo Feliciano, por À Parte do Inferno
Melhor Direção de Arte – R$ 5.000,00 – Fabiola Bonofiglio, por Tarântula
Melhor Trilha Sonora – R$ 5.000,00 – Sérgio Pererê, Carlos Francisco, Gabriel Martins e Pedro Santiago, por Rapsódia para o Homem Negro
Melhor Som – R$ 5.000,00 – Léo Bortolin, por Command Action
Melhor Montagem – R$ 5.000,00 – Pablo Ferreira, por Afonso é uma Brazza
Prêmio Especial do Júri (Pela feliz conjugação entre o trabalho de direção e atuação coletiva): História de uma Pena, de Leonardo Mouramateus

Premios do Juri Popular

Melhor Filme de longa metragem – R$ 40.000,00 – A Família Dionti, de Alan Minas
Melhor Filme de curta ou média metragem – R$ 10.000,00 – Afonso e uma Brazza, de Naji Sidki e James Gama

Troféu Câmara Legislativa do Distrito Federal – Juri Oficial

Melhor Longa-Metragem – R$ 80.000,00 – Santoro – o Homem e sua Música, de John Howard Szerman
Melhor Curta-Metragem – R$ 30.000,00 – A Culpa é da Foto, de Eraldo Peres, André Dusek e Joedson Alves
Melhor Direção – R$ 6.000,00 – John Howard Szerman, por Santoro – o Homem e sua Música
Melhor Ator – R$ 6.000,00 – Davi Galdeano, por O Outro Lado do Paraíso
Melhor Atriz – R$ 6.000,00 – Simone Iliescu, por O Outro Lado do Paraíso
Melhor Roteiro– R$ 6.000,00 – Marcelo Müller, Ricardo Tiezzi, José Rezende Jr. e André Ristum, por O Outro Lado do Paraíso
Melhor Fotografia – R$ 6.000,00 – Lelo Santos, por O Escuro do Medo
Melhor Montagem – R$ 6.000,00 – Armando Bulcão, por Alma Palavra Alma
Melhor Direção de Arte – R$ 6.000,00 – Beto Grimaldi, por O Outro Lado do Paraíso
Melhor Edição de Som– R$ 6.000,00 – Alessandro Laroca, Armando Torres Jr. e Eduardo Virmond, por O Outro Lado do Paraíso
Melhor Captação de Som– R$ 6.000,00 – Toninho Muricy, por O Outro Lado do Paraíso
Melhor Trilha Sonora– R$ 6.000,00 – Alessandro Santoro, porde Santoro – O Homem e sua Música

Troféu Câmara Legislativa do Distrito Federal – Júri Popular

Melhor filme de longa metragem: R$ 20.000,00 – O Outro Lado do Paraíso, de André Ristum
Melhor filme de curta metragem: R$ 10.000,00 – Ninguém Nasce no Paraíso (Matriz Proibida), de Alan Schvarberg

Prêmio ABCV – Associação Brasiliense de Cinema e Vídeo

Conferido pela ABCV – Associação Brasiliense de Cinema e Vídeo a profissional do audiovisual do Distrito Federal
Homenagem ao ator Gê Martu

Prêmio Canal Brasil

Cessão de um Prêmio de Aquisição no valor de R$ 15 mil e o troféu Canal Brasil, ao Melhor filme de curta metragem selecionado pelo júri Canal Brasil.
Filme: Rapsódia para o Homem Negro, de Gabriel Martins

Prêmio exibição TV Brasil

O título premiado integrará a programação da emissora.
Melhor filme de longa metragem – R$ 50 mil – Filme: Santoro – o Homem e sua Música, de John Howard Szerman

Prêmio Marco Antônio Guimarães

Conferido pelo Centro de Pesquisadores do Cinema Brasileiro para o filme que destaca o uso de material de arquivo e de pesquisa cinematográfica.
Filme: Santoro – o Homem e sua Música, de John Howard Szerman

Prêmio ABRACCINE – O Prêmio da Crítica

Por fazer o retrato sensível de uma solidão usando a música como condutor narrativo dos sentimentos, humanizando um personagem a princípio duro e impenetrável, o Júri Abraccine concede o Prêmio da Crítica de melhor curta-metragem a
A Outra Margem, de Nathália Tereza

Por construir através de imagens potentes o ressentimento e a obsessão de seu protagonista e pela construção de uma crescente tensão dentro de cada plano do filme, o Júri Abraccine concede o Prêmio da Crítica de melhor longa-metragem a Para Minha Amada Morta, de Aly Muritiba

20º Prêmio Saruê

Confeccionado pelo artista Francisco Galeno e definido, em votação, pelos integrantes do jornal Correio Braziliense, o troféu é dedicado ao melhor momento do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.
Pelo conteúdo embasado e tocante, Rodrigo Carneiro, seu discurso mereceu o Saruê.

Filmes Atualizados

Boi Neon

Tags:

Atualizado em 27 set 2015

Beira-Mar

Tags:,

Atualizado em 27 set 2015

A Morte de J.P.Cuenca

Tags:,

Atualizado em 27 set 2015

A Floresta Que Se Move

Tags:

Atualizado em 26 set 2015

Em Três Atos

Tags:

Atualizado em 26 set 2015

%d blogueiros gostam disto: